Cultivando Água Boa vai ajudar recuperação da Bacia do Rio Doce

A experiência e a tecnologia social do programa Cultivando Água Boa, desenvolvido desde 2003 pela Itaipu Binacional e mais de 2000 entidades parceiras, serão utilizadas como referência para a recuperação da Bacia do Rio Doce, na região de Mariana/MG, afetada pelo mais grave acidente ambiental do país.

A medida foi publicada no Diário Oficial de Minas Gerais e prevê a recuperação da bacia do Rio Doce e de seus afluentes, ampliação das áreas de vegetação nativa e de áreas degradadas. Serão investidos recursos da ordem de R$ 6,5 milhões, que sairão do Fundo de Recuperação das Bacias Hidrográficas do Estado de Minas Gerais.

O anúncio foi feita durante a realização da 13ª. edição do Encontro do CAB, que reuniu mais de três mil participantes em Foz do Iguaçu para fazer um balanço do programa e celebrar a conquista do Prêmio ONU – Água.

Cultivando Água Boa é uma iniciativa que promove a proteção dos recursos da Bacia do Paraná 3, localizada no Oeste do Paraná. Um movimento liderado pela Itaipu que envolve a participação de órgãos governamentais, ONGs, instituições de ensino, cooperativas, associações comunitárias e empresas. Atualmente, o programa desenvolve ações transversais, que passam pela recuperação de microbacias, proteção das matas ciliares e da biodiversidade, compartilhamento de conhecimento e atividades sócio-educativas para a formação de uma consciência de respeito ao meio ambiente, entre outras.

No ano passado, o Programa Cultivando Água Boa recebeu o Prêmio ONU – Água, apontado como a melhor política de gestão dos recursos hídricos do planeta.

< Voltar >